Assuntos de Goiás TV

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Governo recua e desiste do serviço médico obrigatório via @Reinaldo_Cruz #QuestãoBrasil

Dilma recua, mas ainda quer importar médicos
O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, confirmou nesta quarta-feira que o governo federal desistiu da ampliação de seis para oito anos dos cursos de medicina no País, uma das propostas mais polêmicas do programa Mais Médicos. Com a mudança, os dois anos a mais serão aproveitados como residência médica.

De acordo com o MEC, o governo aceitou sugestão de uma comissão de especialistas que analisa o programa. Pela nova proposta, os médicos vão continuar concluindo o curso em seis anos e quem quiser fazer a residência – que vale como uma especialização – terá de atuar obrigatoriamente no Sistema Único de Saúde.

No primeiro ano da residência, o médico deverá atuar na atenção básica dentro da sua especialidade – pediatria, cardiologia, etc. A partir do segundo ano, ele fará a formação complementar, que também deve ser por meio do SUS. A previsão do governo é de que até 2017 a residência médica seja considerada obrigatória. Com isso, quem quiser trabalhar como clínico geral, deverá se especializar nesta área.
Leia mais: Governo desiste de estender em 2 anos cursos de medicina - Terra Brasil

domingo, 28 de julho de 2013

Após ouvir Lula, Dilma decide não cortar ministérios via @Reinaldo_Cruz #QuestãoBrasil

Em conversa de três horas com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na quarta-feira, 24, Dilma mostrou preocupação com a queda de popularidade do governo, observada após os protestos de junho, mas disse que não vai ceder, nesse momento, a pressões por mudanças na equipe.

A portas fechadas houve muita reclamação sobre o comportamento do aliado PMDB e também do PT. Não foi só: Dilma pediu ajuda a Lula para "enquadrar" o PT, que, no seu diagnóstico, não está colaborando como deveria para defender o governo e o plebiscito da reforma política. Para a presidente, divisões na seara petista e o coro do "Volta Lula" prejudicam a governabilidade.

Embora a última pesquisa Ibope, feita por encomenda da Confederação Nacional da Indústria (CNI), tenha sido divulgada nesta quinta, 25, Dilma e Lula já sabiam dos números quando se reuniram, em Salvador, para analisar o cenário político.

Apreensiva, a presidente chegou a perguntar a auxiliares qual seria a repercussão na mídia da má avaliação do governo, em meio à visita do papa Francisco ao Brasil.

O levantamento do Ibope-CNI mostra que o porcentual dos que consideram o governo Dilma "ótimo" ou bom" caiu de 55% para 31% em um período de um mês, após as manifestações de rua. Além disso, a avaliação pessoal da presidente despencou de 71% para 45% e metade dos entrevistados não confia nela.
Leia mais: Dilma decide com Lula não mexer na gestão de governo | Política - Correio do Estado

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Ciro Gomes volta a atacar governo federal e questionar o PSB via @Reinaldo_Cruz #QuestãoBrasil

Ciro Gomes que foi convencido a apoiar Dilma em 2010 agora ataca
A língua do ex-ministro Ciro Gomes (PSB-CE) segue afiada. E ele está cheio de críticas aos adversários do provável candidato a presidente da República no próximo ano o governador Eduardo Campos (PSB). Usando termos "impróprios, Ciro voltou a atacar a presidente Dilma Rousseff em entrevista dada a um programa de rádio no Ceará. O socialista disse que "petista pilota uma aliança assentada na putaria". Ciro Gomes criticou a base aliada e chegou a afirmar que a presidente era "arrogante" e "inexperiente". Antes, Ciro já tinha dito que "o PMDB era um “ajuntamento de assaltantes”.

"Incrível a Dilma convocar uma rede de televisão e falar quase dez minutos para não dizer absolutamente nada. Inventar uma lambança de uma Constituinte exclusiva para fazer uma reforma política. Nenhum cartaz na rua pedindo reforma política, embora seja uma agenda emergente. Depois trocar os pés pelas mãos nesse negócio dos médicos (programa Mais Médicos)", disparou.

Ciro diz ainda que a presidente tem que fazer uma "reforma profunda do ministério" e cortar pastas da administração. "A Dilma não é uma má pessoa. É uma pessoa decente, trabalhadora. Ela é meio arrogante e muito inexperiente. Muito, muito, muito inexperiente. Ou seja: isso já tava dito. Eu cansei de falar muitas vezes... e cercada de gente de quinta categoria. Esse é o grande problema. Pilotando uma aliança que é assentada na base da putaria", afirmou.

A verborragia de Ciro também sobrou para o PSB. O cearense questionou a pré-candidatura de Eduardo Campos à Presidência da República. Disse que há uma "esquizofrenia" socialista no debate pré-eleitoral. Ele se referiu ao fato de o partido manter cargos no governo federal, mesmo com os planos de candidatura própria.

Com agências
Leia mais: Ciro Gomes volta a atacar governo federal e questionar o PSB | Política: Diario de Pernambuco

terça-feira, 23 de julho de 2013

Ditadura velada: Decreto do RJ que prevê quebra de sigilo causa polêmica via @Reinaldo_Cruz #QuestãoBrasil


O Governador Sérgio Cabral mete os pés pelas mãos e faz mais besteira
O decreto estadual que criou a Comissão Especial de Investigação de Atos de Vandalismo em Manifestações Públicas está causando polêmica no Rio. O texto – assinado pelo governador Sérgio Cabral e publicado no Diário Oficial do Estado nesta segunda-feira (22) – diz que operadoras de telefonia e internet terão prazo máximo de 24 horas para atender aos pedidos de informação da comissão, sem mencionar a necessidade de autorização judicial para quebra de sigilo. Juristas ouvidos pelo G1 questionam a constitucionalidade do decreto e a OAB-RJ já avalia medidas a serem tomadas para inviabilizar o cumprimento da determinação. Por outro lado, o Ministério Público, que preside a comissão, afirma que a comissão não cometerá ilegalidades.
O procurador-geral do estado do Rio, Marfan Martins Vieira, afirmou, nesta terca-feira (23), por meio da assessoria de imprensa, que não existe possibilidade de haver quebra de sigilo telefônico sem autorização judicial, já que o decreto estadual não pode se sobrepor à legislação federal sobre o tema.
G1 - Decreto do RJ que prevê quebra de sigilo causa polêmica - notícias em Rio de Janeiro

domingo, 21 de julho de 2013

PF indicia vice-governador da PB e mais 22 por desvio de R$ 1,6 milhão via @Reinaldo_Cruz #QuestãoBrasil

Junto com o vice-governador e os políticos da Paraíba
esta Duda Mendonça que escapou do Mensalão outro dia
A Polícia Federal indiciou 23 suspeitos de desviar R$ 1,6 milhão de um projeto de internet gratuita em João Pessoa, na Paraíba. Entre eles, o vice-governador da Paraíba, Rômulo Gouveia (PSD), acusado de ser o mentor do esquema, e o publicitário Duda Mendonça, absolvido no julgamento do mensalão.

Segundo as investigações, o desvio foi usado para financiar campanhas eleitorais. Conforme o inquérito, em 2009, quando era deputado federal, Rômulo apresentou uma emenda propondo a ‘Jampa Digital’, que deveria levar internet de graça para João Pessoa. O serviço custou R$ 39 milhões e, segundo a Polícia Federal, a empresa Ideia Digital, que acabou ganhando a concorrência, desviou parte do dinheiro.

A polícia diz que as empresas Brickell e Rigusta receberam R$ 1,1 milhão da Ideia Digital e que o dinheiro foi usado na campanha do atual governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), e do vice, Rômulo Gouveia.

A campanha foi feita pelo publicitário Duda Mendonça, que, segundo a polícia, recebeu os repasses das duas empresas.
Leia mais: Jornal do Brasil - País - PB: PF indicia vice-governador e mais 22 por desvio de R$ 1,6 milhão


Assuntos de Goiás: PF indicia vice-governador da PB e mais 22 por des...

sábado, 20 de julho de 2013

A Revista IstoÉ traz denúncia de Propinoduto nos governos do PSDB via @Reinaldo_Cruz

A Siemens é o ponto nevrálgico da denúncia que pode abalar o PSDB 
As provas oferecidas pela Siemens e por seus executivos ao Cade são contundentes. Entre elas, consta um depoimento bombástico prestado no Brasil em junho de 2008 por um funcionário da Siemens da Alemanha. ISTOÉ teve acesso às sete páginas da denúncia. Nelas, o ex-funcionário, que prestou depoimento voluntário ao Ministério Público, revela como funciona o esquema de desvio de dinheiro dos cofres públicos e fornece os nomes de autoridades e empresários que participavam da tramoia. Segundo o ex-funcionário cujo nome é mantido em sigilo, após ganhar uma licitação, a Siemens subcontratava uma empresa para simular os serviços e, por meio dela, realizar o pagamento de propina. Foi o que aconteceu em junho de 2002, durante o governo de Geraldo Alckmin, quando a empresa alemã venceu o certame para manutenção preventiva de trens da série 3000 da CPTM (Companhia Paulista de Transportes Metropolitanos). À época, a Siemens subcontratou a MGE Transportes.

De acordo com uma planilha de pagamentos da Siemens obtida por ISTOÉ, a empresa alemã pagou à MGE R$ 2,8 milhões até junho de 2006. Desse total, pelo menos R$ 2,1 milhões foram sacados na boca do caixa por representantes da MGE para serem distribuídos a políticos e diretores da CPTM, segundo a denúncia. Para não deixar rastro da transação, os saques na boca do caixa eram sempre inferiores a R$ 10 mil. Com isso, o Banco Central não era notificado.

A MGE é frequentemente utilizada pela Siemens para pagamento de propina. Nesse caso, como de costume, a MGE ficou encarregada de pagar a propina de 5% à diretoria da CPTM”, denunciou o depoente ao Ministério Público paulista e ao ombudsman da empresa na Alemanha.
Leia mais: Jornal do Brasil - País - IstoÉ: Propinoduto desviou milhões do transporte nos governos do PSDB

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Parecer sobre ação contra Aécio sai em breve, diz Gurgel via @Reinaldo_Cruz

O Procurador Roberto Gurgel vai oferecer denúncia contra Aécio Neves
A representação contra o senador do PSDB de Minas Gerais foi apresentada à Procuradoria da República, em maio de 2011, por deputados que fazem oposição ao governo do Estado. A justificativa é de que Aécio declarou à Justiça Eleitoral um patrimônio de pouco mais de R$ 617 mil, mas foi flagrado numa batida policial da Lei Seca no Rio dirigindo um Land Rover. Aécio recusou-se a fazer o teste do bafômetro e contratou um taxista para dirigir o carro até a residência que mantém na capital fluminense.

O automóvel, avaliado em mais de R$ 300 mil, estava em nome da Rádio Arco-Íris, retransmissora da Jovem Pan em Belo Horizonte que pertence ao senador do PSDB, a Andrea e à mãe deles, Inês Maria Neves Faria. De acordo com a Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg), a rádio tem capital social de R$ 200 mil. Mas a arco-íris tinha outros 11 carros na frota — pelo menos três importados. Aécio entrou na sociedade no fim de 2010, após deixar o governo de Minas Gerais e ser eleito para o Senado.

O caso deflagrou uma briga interna no Ministério Público Estadual (MPE) de Minas. Depois de o então procurador-geral de Justiça do Estado, Alceu José Torres Marques, arquivar representação para verificar se a Arco-Íris, que era dirigida pela irmã de Aécio, recebia recursos do governo estadual durante a gestão dele — na qual ela presidia o grupo técnico de comunicação da gestão estadual — integrantes do bloco Minas Sem Censura, de oposição ao Poder Executivo, fizeram nova denúncia ao MPE.

Leia mais: Parecer sobre ação contra Aécio sai em breve, diz Gurgel - politica - politica - Estadão

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Parlamentares se mobilizam para instalação de CPI da espionagem americana via @Reinaldo_Cruz

Edward Snowden detonou esquema de espionagem e deu inicio a crise
O Congresso quer participar ativamente do processo de investigação das denúncias de espionagem dos Estados Unidos no Brasil e pretende instalar uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) no Senado.

Para criar uma comissão de inquérito é necessário que um terço dos parlamentares, ou seja, 27 senadores, apoiem a iniciativa. A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), afirmou que 40 senadores já assinaram o documento.

Segundo a senadora, o objetivo é colaborar com o governo na apuração das denúncias.

— A comissão é um instrumento importante porque não estamos diante de um problema do governo brasileiro, estamos diante de um problema do Estado brasileiro. O Congresso, que dispõe de um instrumento, deve colaborar com as investigações.

As declarações foram dadas durante audiência pública na Comissão de Relações Exteriores no Senado, convocada para debater as providências que serão adotadas depois das denúncias de espionagem americana em território brasileiro.

A senadora, no entanto, não especificou se a CPI teria a participação de deputados, além dos senadores. Nesse caso, seria uma comissão mista de inquérito, o que exige um número maior de assinaturas.
Leia mais:Parlamentares se mobilizam para instalação de CPI da espionagem americana - Notícias - R7 Brasil

terça-feira, 9 de julho de 2013

Presidente da Câmara descarta plebiscito e cria grupo para reforma política

Congresso Nacional é de novo o dono da situação e enterra plebiscito
Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), anunciou nesta terça-feira a criação de um grupo de trabalho que deverá aprovar uma proposta de reforma política em 90 dias, o que elimina a necessidade da realização de um plebiscito, como deseja o governo.
"Crio hoje um grupo de trabalho para elaborar num prazo inadiável de 90 dias um projeto de reforma política que a Casa já devia ter votado. Fiz um apelo dramático e real para ser votado num prazo de 90 dias e ir a referendo em 2014", disse o presidente a jornalistas, após reunião do colégio de líderes de bancada da Câmara.
O governo enviou, na semana passada, uma mensagem com sugestões de temas a serem tratados num eventual plebiscito para a reforma: o financiamento de campanhas, a definição do sistema eleitoral, a suplência no Senado, as coligações partidárias e o voto secreto no Parlamento.
Apesar da sugestão do Executivo, é do Congresso a prerrogativa de convocar um plebiscito, por meio de um decreto legislativo, que daria as diretrizes para construir uma reformulação do sistema político eleitoral.


Leia mais:G1 - Presidente da Câmara descarta plebiscito e cria grupo para reforma política - notícias em Política

Aplaudido por prefeitos, Renan critica número de ministérios de Dilma via @Reinaldo_Cruz

Sentindo se paladino da moral e da ética, Renan vê que está tudo errado
Ao iniciar seu discurso, Renan disse que as manifestações que recentemente tomaram contas das ruas têm as mesmas pautas que os prefeitos estão levando a Brasília. “As reclamações dos prefeitos se cruzam e se reforçam com as reclamações das ruas. As ruas estão pedindo o que os prefeitos e prefeitas do Brasil sempre reclamaram: investimento para educação, saúde, transporte e segurança pública”, ressaltou.
Durante a abertura da Marcha em Defesa dos Municípios, na manhã desta terça, prefeitos vaiaram no momento em que foi anunciado que a presidente Dilma Roussef não iria à cerimônia. A expectativa é que a presidente da República participe de encontro com os participantes da marcha nesta quarta (10), quando deverá dar uma resposta às reivindicações dos prefeitos.
“Os municípios reivindicam elevação do percentual do FPM e têm esse direito. Em várias oportunidades, conversamos com a presidente, e acho que amanhã, além de todas as promessas, o fundamental é esse compromisso, que é a elevação do percentual de distribuição da cota dos municípios”, observou o presidente do Senado.

Leia mais: G1 - Aplaudido por prefeitos, Renan critica número de ministérios de Dilma - notícias em Política

Seguidores