Assuntos de Goiás TV

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Taxa de desemprego fica em 5,2% em outubro, segundo IBGE

A taxa de desocupação em outubro de 2013 foi estimada em 5,2% para o conjunto das seis regiões metropolitanas pesquisadas e não teve variação estatisticamente significativa nem em relação a setembro (5,4%) nem frente a outubro do ano passado (5,3%), segundo o IBGE.

A população desocupada (1,3 milhão de pessoas) também ficou estável em ambas as comparações. A população ocupada (23,3 milhões de pessoas), igualmente, mostrou estabilidade em ambas as comparações. O número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado (11,9 milhões) não se modificou frente a setembro e aumentou 3,6% em relação a outubro de 2012.

O rendimento médio real habitual dos trabalhadores (R$ 1.917,30) foi considerado estatisticamente estável frente a setembro (R$ 1.919,82) e subiu 1,8% em relação a outubro de 2012 (R$ 1.883,45).
Leia mais: Jornal do Brasil - Economia - Taxa de desemprego fica em 5,2% em outubro, segundo IBGE

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

STF deve determinar mais prisões de condenados do mensalão nesta segunda

Outros sete condenados devem receber a ordem de prisão, entre eles o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB), delator do mensalão. A Polícia Federal ainda não confirma se já recebeu novos mandados.

Nesta segunda, o juiz da Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios Ademar Silva de Vasconcelos pode decidir qual será o destino dos presos. Ele terá de definir, por exemplo, se os condenados permanecerão na penitenciária da Papuda ou serão transferidos.
Leia mais: STF deve determinar mais prisões de condenados do mensalão nesta segunda - politica - politica - Estadão

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

STF emite ofícios determinando prisão de 12 réus do mensalão

- Um dia histórico este 15 de Novembro. políticos presos é fato raro -
Os réus deverão se apresentar ao juiz responsável pela Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, que vai definir o local de cumprimento da pena de cada um.

De imediato, réus como José Dirceu, que cumprirá - pelo menos por enquanto - pena em regime semiaberto, ficarão no Centro de Detenções Provisórias do Distrito Federal. Quatro réus iniciarão o cumprimento já em regime fechado. São eles: Marcos Valério, Kátia Rabello, Cristiano Paz e Henrique Pizzolato. O Complexo Penitenciário da Papuda, no DF, já reservou celas individuais em duas unidades para eles. Posteriormente, os réus poderão solicitar transferências para unidades próximas de seus domicílios.
Leia mais: STF emite ofícios determinando prisão de 12 réus do mensalão - Terra Brasil

Joaquim Barbosa analisa no feriado prisões imediatas de réus do mensalão

- O cumprimento das penas impostas pelo STF pode começar já -
Julgamento do Mensalão: Sete réus já tiveram o processo transito em julgado (não possuem mais direito a recurso) e já podem ter as penas executadas. São eles: o delator do mensalão, Roberto Jefferson; o ex-deputado José Borba; o ex-tesoureiro do extinto PL, Jacinto Lamas; o ex-diretor do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato; o ex-primeiro secretário do PTB, Emerson Palmieri; o ex-dono da corretora Bônus-Banval Enivaldo Quadrado e o ex-deputado Romeu Queiroz
Outros nove réus poderão ser presos pelos crimes nos quais não entraram com embargos infringentes, são eles: o ex-ministro José Dirceu; o deputado José Genoino; o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares; Marcos Valério, apontado como "operador" do esquema; Cristiano Paz, ex-sócio de Marcos Valério; Kátia Rabello, ex-presidente do Banco Rural; o advogado Rogério Tolentino, o ex-deputado Pedro Corrêa e a ex-funcionária de Valério, Simone Vasconcelos.
No entanto, há outros seis réus que apresentaram embargos infringentes em todos os crimes que foram condenados, mas que não obtiveram ao menos 4 votos contra a condenação no julgamento.
Leia mais: G1 - Barbosa analisa no feriado prisões imediatas de réus do mensalão - notícias em Julgamento do mensalão

sábado, 9 de novembro de 2013

2014 vem ai. Copa do Mundo, Eleições e a Esperança de que o eleitor esteja mesmo consciente

- Nenhum Governante tem a segurança de que vai ser reeleito em 2014 -
     O cenário político eleitoral é desanimador não só em Goiás, mas no Brasil para 2014, pelo menos para quem almeja mudanças significativas de nomes e/ ou da forma de gestão com que os destinos vêm sendo conduzidos. Os protestos de Junho ecoaram pelo país com alento de que os cidadãos brasileiros estavam dispostos a dar um basta na inércia de alguns governos, ou mostrar que não aceitariam mais as regalias com que se acostumou a viver a classe política, enquanto que o cidadão de bem, trabalhador e eleitor que é, vem sendo tratado como a parte menos importante de todo este contexto.

     Na atual conjuntura, nós eleitores estamos sendo massa de manobra da classe política, mesmo alguns não concordando com tal afirmação, é exatamente isso que vem acontecendo ano após ano no Brasil inteiro. Os leões que foram para as ruas gritar a plenos pulmões por um país mais justo, costumam se comportar como mulas na hora de depositar seu voto e sua vontade na urna e invariavelmente, acabam por referendar os nomes que já detém um mandato e endossam sem pestanejar o cheque em branco, para que tanto o bom político (se é que ele existe) ou mal continuem a “representá-lo” de alguma forma.

     A Presidente Dilma Rousseff viu a sua popularidade despencar vertiginosamente, após protestos de Junho, e tratou logo de se manifestar favorável ao que pedia a voz estridente das ruas. Um plebiscito talvez fosse a melhor solução para o momento tão conturbado por que passava o país, mas sem amparo jurídico seria muito difícil vingar na terra do jeitinho brasileiro. Para não ficar para trás, os nobres Deputados e Senadores trataram de puxar as rédeas da situação, assumindo assim o controle da força tarefa que encontraria a solução que tanto pedia a população insatisfeita, que foi às ruas para deixar bem claro que não concordava mais com o modelo político que estava vigorando e só trazia bônus aos detentores do poder.

      Passada a turbulência das manifestações, tudo foi esquecido, ou quase tudo, por que os políticos buscam meios de criminalizar as formas de protestos que poderão se repetir no ano de 2014 e até pela proximidade, entre Copa do Mundo e Eleições, as autoridades temem que o período de insatisfação se prolongue mais no ano que vem e os simples protestos acabem de fato se tornando uma “Primavera brasileira”. Os atos de vandalismo que acabaram por roubar literalmente a cena das manifestações por todo o Brasil, tendem a desqualificar os movimentos e acabam por afugentar dos locais de manifestações, o cidadão de bem que até gostaria de engrossar o coro contra os desmandos que ocorrem, mas acaba inibido de fazê-lo por não concordar com a forma com que as reivindicações estão sendo feitas.

     Por tudo o que aconteceu, vem acontecendo, e ainda poderá acontecer, podemos concluir que as verdadeiras reivindicações podem ser feitas de maneira eficaz, nas urnas em Outubro do ano que vem. As eleições vão proporcionar ao eleitor o direito de fazer da sua manifestação, uma verdadeira revolução, sem que para isso seja necessário depredar o patrimônio publico e nem o privado; ninguém precisará enfrentar a força policial e suas armas quase sempre letais; e muito menos correr o risco de não ver seus anseios e vontades respeitados por quem vai estar no poder.

       O Brasil e sua gente vivem um momento em que precisa refletir sobre a classe política, suas funções e utilidades; o momento oportuno é este que se avizinha a chamada chance única de expor o sentimento de indignação ou de conformismo. A figura política brasileira, a qual pode tudo e não respeita nada, precisa ser repensada, mas só o eleitor consciente pode promover esta reflexão e as mudanças necessárias, através de um protesto pacífico e que seja digno de aplausos por toda a nação.

     Muito se ouve nas ruas ou lemos por ai que as mudanças vão ocorrer no pleito de 2014, mas é pouco provável que tenhamos uma reviravolta política que modifique de fato tudo o que acontece hoje. O fato de não acreditar que esta mudança emane do povo para o seu próprio benefício, vem da postura que o eleitor tem diante da chance de promover algo diferente a cada quatro anos e não o faz, a tendência quase sempre é dar mais um crédito de confiança a quem já esta no poder e muitas vezes têm como alegação que o tempo de um mandato é muito curto para fazer jus ao esta confiança nele depositada e que seria fundamental que tivesse mais tempo para representar o cidadão e defendê-lo, como o eleitor espera que o político faça ao ser eleito.

       Mudança apenas pela mudança não vai resolver os problemas da nação, o eleitor consciente precisa ler com lupa o enunciado dos planos de governo e prestar bastante atenção no que promete o seu candidato. Algo fantástico demais ou fora dos padrões legais é motivo suficiente para que o cidadão rechace as pretensões de um político ou partido, pois se não há amparo legal para realizar tal empreitada, fica claro que em nenhum momento ele quer satisfazer os anseios e atender as necessidades de seus eleitores, quer apenas e tão somente tomar para si o poder que os votos dos cidadãos de bem podem lhe proporcionar.

        Mas pior ainda do que aquele que faz promessas mirabolantes que jamais vão sair do papel, são os politiqueiros que querem induzir o eleitor a lhe conferir um mandato, mas sem perspectivas de melhorar nada, para isso abusam da boa fé do eleitor, falando mal de outros candidatos e se intitulando como diferente.

        Esta diferença pode ser percebida pelo eleitor ao verificar o histórico de cada candidato, o que ele já fez com quem esteve marchando lado a lado nos últimos anos e daí tirar uma conclusão se ele é ou não confiável para exercer um mandato e de fato representá-lo na esfera de poder para qual será eleito.

       Em 2014 teremos antes do embate nas urnas, uma Copa do Mundo emblemática em vários sentidos, pois a atração vai dar visibilidade a quem resolver mostrar indignação com governos, corrupção e a própria Copa do Mundo, que é um evento rentável ao país, se for bem explorado, mas que por causa dos desvios de verba e superfaturamentos, acaba atraindo a ira da população que entendem que o país tinha outras prioridades, além de encher os cofres da FIFA. 

      A situação tem tirado o sono dos governos em todas as esferas, pois é preciso se precaver dos problemas causados pelos protestos, sem ferir a Democracia e impedir o direito constitucional do cidadão poder se manifestar.

     As manifestações começaram por conta de míseros vinte centavos este ano, mas que em 2014 podem ressurgir ainda mais fortes por conta de milhões que dizem estar sendo empregada em novas ou velhas obras pelo Brasil a fora. Neste aspecto o cidadão eleitor precisa ficar mesmo atento, pois muitos governantes passaram quase três anos sem promover ações de infraestrutura e de repente vem ai uma avalanche de inaugurações de obras inacabadas e que provavelmente jamais serão concluídas. 

      Aqueles vinte centavos que deram origem a tudo o que vimos este ano, soaram como desaforo pelo mau uso do dinheiro publico, a falta de retorno em forma de benefícios ao cidadão e em muitos casos soa mesmo como desaforo, os impostos servirem apenas para dar boa vida aos políticos e os seus agregados.

     É mas 2014 esta chegando e com ele a chance das pessoas demonstrarem de forma pacifica ordeira e eficiente, qual é a sua vontade, o que realmente pretendem do político para com a sociedade e quem eles querem para ser o seu representante. Eleitor que não presta atenção em plano de governo, não verifica as possibilidades dos compromissos de campanha ser cumpridos ou que não conhece o histórico de quem esta pedindo o seu voto, é um eleitor fadado a se frustrar com quem ele vai eleger isso quando não aceita negociar seu apoio em troca de dinheiro ou promessas ainda mais vazias do que as que compõem os compromissos de campanha.

     Vivemos a era da comunicação, onde a informação viaja numa velocidade impressionante, e justamente por isso, é perfeitamente aceitável que uma pessoa alegue que votou errado por excesso de conhecimento sobre o seu candidato e que jamais tente se justificar pelo fato não ter informação sobre ele, seus projetos e seus parceiros.

A sina do Vila Nova e a alegria do torcedor por mais um jogo do maior rival

     É futebol e tudo pode acontecer mesmo...

     O Goiás foi eliminado da Copa do Brasil pelo Flamengo, pasmem os otimistas e e fiquem embasbacados os pessimistas, por que isso só ocorreu na semifinal da competição.

     Dos 86 participantes, 82 deles ficaram pelo caminho e viram o Flamengo superar o Goiás. E antes que os sabichões da bola lembrem que o quarto lugar e o octogésimo sexto é a mesma coisa em termos práticos, devemos observar alguns pontos e fazer uma reflexão sobre o que aconteceu no futebol brasileiro este ano e o que ainda pode acontecer...


   O quarto lugar do Goiás na Copa do Brasil, é maior alegria do torcedor do Vila Nova este ano, mais até do que a conquista do acesso para a série B, por que tem sido assim ao logo das últimas décadas em que o Tigrão não disputa nada que tenha valido a pena, enquanto que o seu maior rival tem pelo menos a possibilidade de contar com o acaso ou as forças ocultas que sempre dão uma forcinha para o Verde.

     Em 2010, o Goiás caiu de divisão, mas se manteve na mídia (Mundial) por que aquele time horroroso conseguiu o feito de disputar uma final de Copa Sul Americana. Perdeu. Tristeza para o torcedor esmeraldino, que viu a possibilidade de ganhar algo grandioso escapar por entre os dedos, e alegria desenfreada do torcedor colorado que não tem o que comemorar com seu time, então se delicia com as derrotas do rival.

     Pois bem, veio 2011 e o Goiás estava mergulhado numa crise sem precedentes, técnica e financeira. Muitos achavam que o Goiás iria passear na Segunda Divisão daquele ano. A ajuda contestada da Rede Globo ao Flamengo, também funcionou pró Goiás na ocasião, mas não adiantou e o clube não subiu.


   Em 2011, Goiás e Vila Nova estiveram juntos na mesma divisão, mas como sempre o Goiás se destaca e o Vila Nova fica à sombra. o Goiás não teve sucesso em 2011, mas o Vila Nova caiu e foi parar na terceira divisão.

     Ainda em 2011, o Goiás foi beneficiado pelos "Deuses da Bola" e "achou" entre os seus dirigentes, um que poderia dar uma luz ao Goiás, e perdido por ai, o treinador Enderson Moreira, que recebeu a missão de reestruturar o futebol do clube.

     Naquele momento, o Goiás vivia uma conturbada relação com sua torcida, que cobrava resultados e crucificava a família Pinheiro por todos o erros. O clube destituiu um Presidente e era cada vez mais fortes os rumores de que o Verde estaria quebrado.

     Enquanto isso, o torcedor do Vila Nova, festejava a situação do Goiás e pouco ligou para a queda do Tigrão para a série C ou se incomodou com dirigentes montando empresa para "gerir" o futebol do clube.

     Veio então 2012, o torcedor Colorado assitia passivo o Tigrão afundar cada vez mais em sua própria crise, não deixou a série C, não chegou a decisão do Goianão, ai começou a enxergar seus próprios problemas, por que não adiantou torcer para o Atlético tirar o Goianão da Serrinha e ainda teve que contemplar o maior rival voltando a série A do Brasileirão.

     Este ano o Goiás se dispôs a aplicar a política do pé no chão, estava de novo na elite do futebol nacional, mas seu austero Presidente (amparado pela família Pinheiro) decidiu que não faria nenhuma loucura em 2013, e por mais de uma vez declarou que o Goiás faria uma campanha para se manter na elite.

     As coisas foram acontecendo, o Goiás foi vivendo jogo a jogo, ganhou o bi do Goianão, campeonato que o torcedor do Vila Nova acredita não valer nada, chegou a semifinal da Copa do Brasil e ainda vai brigando na ponta de cima da tabela da série A, isso mesmo não investindo alto no time e perdendo jogadores importantes como Egídio e Ricardo Goulart.

     Para o que foi planejado e aonde o Goiás se encontra no momento, com certeza já esta no lucro. E isso é fato que nem a diretoria é capaz de negar aos esmeraldinos.

     Para o torcedor do Vila Nova ficar contente não precisa muita coisa, basta ganhar uma joguinho aqui, outro ali e ver o Goiás perder, seja lá para quem for. O Tigrão é pequeno, como o pensamento da sua torcida, que é gigantesca, mas a cada ano vão minguando por que o Vila Nova não tem anseios de conquistas, desde que o Goiás não ganhe para o torcedor colorado estará sempre bom.

     A outra discussão sem fim é sobre a maior torcida, uma bobagem que não merece muito crédito, a apaixonada torcida do Vila Nova anda encolhendo e para ser considerada a maior do estado ou de Goiânia seria preciso o Goiás deixar de existir pelo menos por um instante. São conquistas ou a forma que você luta para chegar até elas, um dia, que engrandece a torcida ou mostra o seu valor.

     O torcedor do Tigrão só pode torcer para os adversários do Goiás para ter alguma alegria, por que se depender do Vila Nova...
Em jogo emocionante, Sampaio vence Vila Nova e está na final da Série C | globoesporte.com

Vila Nova Futebol Clube: Jogo vibrante e emocionante, Sampaio Correa vence e esta na final da Série C

Não foi a facilidade que os Maranhenses pregavam e nem tão pouco faltou luta e empenho de ambos os lados. Equilíbrio, emoção e tudo que uma grande decisão tem direito. Ao fim deste jogo, contra o Vila Nova, o Sampaio garantiu a classificação para a final da Série C do Campeonato Brasileiro, ao vencer pelo placar de 2 a 1. O confronto foi na noite deste sábado, no Estádio Castelão, em São Luís (MA).

Os gols foram marcados somente depois dos 25 minutos do segundo tempo. Eloir marcou primeiro para o Sampaio e o Vila Nova empatou com Frontini. Com este resultado, a vaga era do time goiano. Mas aí, Tote cobrou falta e colocou o Sampaio a frente no placar e, automaticamente, na final.
Os números referentes a torcida não foram revelados, contudo diferentemente dos jogos anteriores, os 40 mil ingressos não foram todos consumidos, mesmo assim o estádio contou com um bom público.
Leia mais: Em jogo emocionante, Sampaio vence Vila Nova e está na final da Série C | globoesporte.com

Seguidores