Assuntos de Goiás TV

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Manifestação tem confronto com a polícia na frente do Congresso e causam preocupação no Planalto | Questão Coluna social

Um protesto contra o governo e contra projetos do presidente Michel Temer terminou em confusão no final da tarde desta terça-feira (29).

terça-feira, 29 de novembro de 2016

STJ determina bloqueio dos bens do governador de Tocantins

Por envolver um governador, o inquérito tramita no Superior Tribunal de Justiça, em segredo de Justiça



Leia mais... STJ determina bloqueio dos bens do governador de Tocantins | EXAME.com - Negócios, economia, tecnologia e carreira


Governador do Tocantins é alvo de operação da Polícia Federal contra lavagem de dinheiro 200 MILHÕES


Bomba na Lava Jato: Sérgio Moro afirma não ter provas contra Lula em decreto de prisão de Bumlai – Politica

No decreto de prisão do pecuarista José Carlos Bumlai, juiz Sérgio Moro destaca 'uso indevido' do nome de petista em negócio com Banco Schahin
Na decisão que mandou prender o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e suspeito de intermediar propinas envolvendo contrato do navio- sonda Vitória 10.000 da Petrobrás, o juiz Sérgio Moro ressaltou que não há nenhuma prova contra o ex-presidente petista no empréstimo de R$ 12 milhões do banco Schahin ao pecuarista que, segundo os investigadores e com base em delações dos próprios executivos do banco, teria sido para repassar dinheiro ao PT. 

Paulo Magalhães: “Ninguém trabalhou tanto pelo Iris como eu”

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Odebrecht leva Lava Jato ao ninho Tucano e deve atingir em cheio os Presidenciáveis do PSDB  | Diálogo em Rede

As delações da Odebrecht atingiram em cheio o PSDB. Em reportagem na edição desta semana, já nas bancas, VEJA revela como despesas da campanha de José Serra à Presidência em 2010, como o jatinho que ele usou para viajar pelo país, foram bancadas com dinheiro sujo da Odebrecht.

Brasília - O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, o ex-presidente da Fernando Henrique Cardoso, e governadores tucanos em reunião na sede da Executiva Nacional do PSDB (Valter Campanato/Agência Brasil)
Brasília - O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, o ex-presidente da Fernando Henrique Cardoso, e governadores tucanos em reunião na sede da Executiva Nacional do PSDB (Valter Campanato/Agência Brasil)
O texto também põe fim a um mistério: três fontes confirmaram à revista que o codinome “santo” que aparece em planilhas da empreiteira refere-se ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) — nenhum deles, no entanto, disse ter negociado diretamente com o paulista.
Depoimentos mostram como o dinheiro da Odebrecht bancou a campanha de Serra em 2010

Ação entre amigos? Caso Geddel expõe Temer e revela que corrupção ainda é forte no Governo | Questão Coluna social

Da revista Época - Ao escolher o lado da lei, o ex-ministro da Cultura derrubou um colega muito mais poderoso e jogou uma crise no Palácio do Planalto
reinaldo12122
Calero fez história na sexta-feira (dia 18), quando pediu demissão e saiu atirando. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, Calero acusou o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, do PMDB, de pressioná-lo para mudar uma decisão de Estado.
O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), subordinado à Cultura, embargara a construção de um certo edifício La Vue em Salvador, na Bahia. O plano era encravar um prédio de 30 andares perto do Farol da Barra.
Mas o Iphan permitiria a construção de apenas 13 pavimentos. Dono de um compromisso de compra de um apartamento avaliado em R$ 2,6 milhões no La Vue, Geddel queria a liberação da obra por completo. De acordo com Calero, Geddel procurou-o várias vezes. No mês passado, protestou que o Iphan não liberava o empreendimento.
“E aí, como é que eu fico nessa história?”, disse Geddel, segundo Calero. Geddel disse que o colega deveria intervir no Iphan e ameaçou levar o caso ao presidente Michel Temer caso não fosse atendido.
A pergunta de Geddel foi respondida na sexta-feira (dia 25). Ele teve de pedir demissão, ir embora do governo, para preservar Temer.

domingo, 27 de novembro de 2016

Lava Jato: delatores de esquemas de corrupção são ameaçados | Redes Sociais

A revista IstoÉ traz esta semana uma matéria que trata das ameaças sofridas por quem fez delação premiada na operação Lava Jato. 

Eles ficam em paz com sua consciência, mas os delatados prometem não dar sossego aos X-9.


As pressões para que testemunhas desmintam seus depoimentos incluem ameaças de morte sob a mira de revólveres, envolvem promessas de incendiar moradias com a família dormindo e compõem a face obscura do mundo das delações premiadas

CPI da Pizza? OAS e Camargo Corrêa complicam a vida do Ministro do TCU Vital do Rêgo – Setor Pedro Ludovico

Depois da OAS, agora a Camargo Corrêa também complicou a situação do ministro do TCU Vital do Rêgo. 

No inquérito que investiga pagamentos de propina para evitar a convocação de empreiteiros na CPI da Petrobras em 2014, o executivo Gustavo da Costa Marques revelou ter se encontrado “duas ou três vezes” com Vital, que à época era senador e presidia a CPI.
Nas conversas, Marques enfatizava que não era necessário convocar os executivos da Camargo. 

“Em uma das reuniões, Vital do Rêgo solicitou uma doação eleitoral para a campanha como governador da Paraíba”, sem estipular valores. 

Marques respondeu que não poderiam contribuir porque tinha esgotado seu limite de doações do ano. Vital diz que nunca negociou vantagens ilícitas nem doações ilegais.


Urgente! Acuado Michel Temer Quer Atender As Manifestações das Ruas

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Votação das 10 medidas ficou para semana que vem

Então não foi só Geddel que prevaricou? Calero diz à PF que Temer o pressionou no caso Geddel

1475589880853O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero disse em depoimento à Polícia Federal que o presidente da República, Michel Temer, o "enquadrou" no intuito de encontrar uma "saída" para a obra de interesse do ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo).
cms-image-000524466

Sem ligar para opinião pública Deputados articulam derrubar pacote anticorrupção no plenário – A Lua Como Recompensa

Após a aprovação do pacote de medidas contra a corrupção na comissão especial da Câmara, líderes de praticamente todos os partidos, com exceção da Rede e do PSOL, vão tentar derrubar o texto do relator Onyx Lorenzoni (DEM-RS) e aprovar um projeto substitutivo no plenário da Casa. A votação está prevista para ocorrer nesta quinta-feira, […]

STF ARQUIVA INQUÉRITOS CONTRA JOSÉ ROBERTO ARRUDA – Discutindo Tudo

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) julgou improcedente, nesta terça-feira (22), dois inquéritos em que o deputado Alberto Fraga (DEM-DF) e o ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda (PR) e o ex-secretário de Transportes Paulo Henrique Barreto, ambos figuravam como réus.

Os inquéritos foram arquivados em virtude da ausência de provas de ilegalidade dos atos administrativos, realizados na época em que o atual deputado era Secretário de Transportes do governo do Distrito Federal.
Os inquéritos tratavam de supostas irregularidades na renovação da frota de ônibus e da empresa que operava a bilhetagem eletrônica. O deputado comemorou a decisão.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Discutir e reformular o Pacto Federativo é uma necessidade urgente para o Brasil

PROPOSTA SERÁ ENVIADA AO CONGRESSO JUNTO COM A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Após mais de duas horas reunidos com o presidente Michel Temer, os governadores decidiram firmar uma pauta conjunta de medidas de ajuste nos estados para promover um "pacto federativo" com o governo federal. De acordo com o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, os estados e o Distrito Federal devem se comprometer a encaminhar propostas únicas de reforma da previdência nas unidades da federação, a fim de que sejam enviadas junto com a Reforma da Previdência que será fechada pelo Palácio do Planalto até o fim do ano. 
35136-politizado1111Com 25 de 27 estados representados, a reunião com Temer, a equipe econômica e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, teve uma pausa há pouco para intervalo. De acordo com Pezão, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e representantes do fórum dos governadores estão redigindo um documento que será o "embrião" de um pacto federativo. Ele afirmou que ainda não há um acordo para o repasse aos estados das multas arrecadadas com a regularização de recursos mantidos no exterior, a chamada repatriação.
"Esperamos que se faça um acordo sem precisar de uma decisão do Supremo Tribunal Federal", disse Pezão, referindo-se à liminar do Supremo que obrigou a União a depositar em juízo parte do dinheiro arrecadado. Segundo o governador, porém, o dinheiro não será suficiente para o Rio de Janeiro, em grave crise financeira. "Nosso problema é estrutural. Estamos com uma série de hipóteses e vamos contar com o governo federal para realizarmos essa travessia", afirmou.
Uma das soluções é a securitização da dívida ativa do Rio de Janeiro e de outros estados, o que de acordo com Pezão, daria para pagar o 13º salário dos funcionários. Segundo ele, Maia e o presidente do Senado, Renan Calheiros, se comprometeram a votar com celeridade o projeto que tramita no Congresso Nacional sobre o assunto.
Segundo o governador do Rio, a intenção é que os estados fechem propostas "com os mesmos termos e os mesmos ajustes". "Queremos fechar agora [antes de o governo enviar para o Congresso]", disse, sobre a sugestão reforma da previdência única para os estados. (ABr)

GOVERNADORES VÃO APRESENTAR PROPOSTA ÚNICA DE novo PACTO FEDERATIVO  – Administrador de Sonhos

PROPOSTA SERÁ ENVIADA AO CONGRESSO JUNTO COM A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Após mais de duas horas reunidos com o presidente Michel Temer, os governadores decidiram firmar uma pauta conjunta de medidas de ajuste nos estados para promover um "pacto federativo" com o governo federal. De acordo com o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, os estados e o Distrito Federal devem se comprometer a encaminhar propostas únicas de reforma da previdência nas unidades da federação, a fim de que sejam enviadas junto com a Reforma da Previdência que será fechada pelo Palácio do Planalto até o fim do ano. 
35136-politizado1111Com 25 de 27 estados representados, a reunião com Temer, a equipe econômica e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, teve uma pausa há pouco para intervalo. De acordo com Pezão, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e representantes do fórum dos governadores estão redigindo um documento que será o "embrião" de um pacto federativo. Ele afirmou que ainda não há um acordo para o repasse aos estados das multas arrecadadas com a regularização de recursos mantidos no exterior, a chamada repatriação.
"Esperamos que se faça um acordo sem precisar de uma decisão do Supremo Tribunal Federal", disse Pezão, referindo-se à liminar do Supremo que obrigou a União a depositar em juízo parte do dinheiro arrecadado. Segundo o governador, porém, o dinheiro não será suficiente para o Rio de Janeiro, em grave crise financeira. "Nosso problema é estrutural. Estamos com uma série de hipóteses e vamos contar com o governo federal para realizarmos essa travessia", afirmou.
Uma das soluções é a securitização da dívida ativa do Rio de Janeiro e de outros estados, o que de acordo com Pezão, daria para pagar o 13º salário dos funcionários. Segundo ele, Maia e o presidente do Senado, Renan Calheiros, se comprometeram a votar com celeridade o projeto que tramita no Congresso Nacional sobre o assunto.
Segundo o governador do Rio, a intenção é que os estados fechem propostas "com os mesmos termos e os mesmos ajustes". "Queremos fechar agora [antes de o governo enviar para o Congresso]", disse, sobre a sugestão reforma da previdência única para os estados. (ABr)

Dois inquéritos contra Arruda são arquivados no STF

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) julgou improcedente, nesta terça-feira (22), dois inquéritos em que o deputado Alberto Fraga (DEM-DF) e o ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda (PR) e o ex-secretário de Transportes Paulo Henrique Barreto, ambos figuravam como réus.

Os inquéritos foram arquivados em virtude da ausência de provas de ilegalidade dos atos administrativos, realizados na época em que o atual deputado era Secretário de Transportes do governo do Distrito Federal.
Os inquéritos tratavam de supostas irregularidades na renovação da frota de ônibus e da empresa que operava a bilhetagem eletrônica. O deputado comemorou a decisão.

Relator na Câmara quer barrar “dízimo” da Lava Jato – Profissão Político

O texto de André Moura não destina um porcentual da compensação paga pelas empresas aos órgãos de prevenção e combate ao crime 

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Golpe da sinais de fracasso: recessão se mostra ainda mais profunda e persistente com Temer – Assuntos de Goiás | Questão Brasil

Vendido para a opinião pública e para os agentes econômicos como um passo necessário para retomar a confiança e o crescimento da economia brasileira, o golpe parlamentar de 2016 fracassou, como demonstra a manchete desta segunda-feira do Valor Econômico; no terceiro trimestre deste ano, a receita líquida das 278 empresas de capital aberto do País apresentou queda superior a 10%, na comparação com o mesmo período do ano passado; afetadas pelo desemprego e pela inadimplência, as empresas estão faturando menos; o tombo é inédito e revela a incapacidade do governo de Michel Temer e da equipe econômica de Henrique Meirelles, no poder há mais de seis meses, de apresentar saídas para a crise, que teve três etapas: a sabotagem ao segundo mandato de Dilma, a concessão de favores para viabilizar seu afastamento definitivo e, agora, a mera aplicação de medidas recessivas

Ostentação até para “cagar”: Os 20 ternos italianos e a privada polonesa da casa de Cabral – Administrador de Sonhos

Os investigadores da PF contaram 20 ternos Ermenegildo Zegna su misura — o termo se refere ao processo de alfaiataria sob medida da marca italiana.
O nome de Cabral está bordado neles. O Ministério Público Federal agora oficiou a grife para saber como os ternos foram pagos. Na loja, um desses varia entre R$ 18 mil e R$ 140 mil.
Também chamou a atenção da Calicute uma privada repleta de botões, com um grande X, no banheiro de Adriana Ancelmo.
Mas, apesar da letra em destaque, não é um produto das empresas de Eike Batista.
O X é da marca polonesa Xime, de privadas de alta tecnologia, que fornece água em três temperaturas: 35°C, 40°C ou 45°C. O assento também pode ser aquecido.
A informação é do colunista Lauro Jardim publicada no site de O Globo.

Governadores vão a Brasília em busca de saída para crise fiscal

Segundo assessores presidenciais, não há espaço para ajuda caso os governadores não se comprometam com um cardápio de medidas fiscais que terão de adotar. 
Cabe ao ministro Henrique Meirelles (Fazenda) tentar negociar nesta terça-feira (22) com governadores um plano de recuperação dos Estados com a adoção de contrapartidas que garantam o fim em definitivo da crise fiscal.

Entre as medidas que serão analisadas, estão a privatização de estatais, limite para o crescimento dos gastos de pessoal, autorização para captação de empréstimos no exterior e antecipação de receitas para os Estados (como a repatriação de recurso de brasileiros lá fora).

Também está prevista uma reunião dos governadores com o presidente Michel Temer para tentar fechar o plano de recuperação fiscal dos Estados. Este encontro dependerá da evolução das negociações com Meirelles.

Temer e seu ministro da Fazenda vão dizer aos governadores que qualquer ajuda não poderá comprometer o ajuste fiscal da União e que serão cobradas contrapartidas dos Estados em troca do socorro.

Segundo assessores presidenciais, não há espaço para ajuda caso os governadores não se comprometam com um cardápio de medidas fiscais que terão de adotar.

O presidente decidiu negociar o socorro aos Estados para evitar um crise grave neste final de ano, com cerca de 20 governadores sem recursos para pagar aos servidores o 13º salário.

No Conselhão com Temer, empresários veem pouca chance de retomada do crescimento em 2017 | Blog do Rei

Nomes importantes do empresariado indicam que o grande desafio do governo é evitar a continuidade da recessão 

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

‘Mesmo que pensasse algo sobre Geddel, não poderia externar’, diz Eliseu Padilha – Politica

"Quem nomeia e demite ministro é o presidente da República. (...) Mesmo que pensasse algo não poderia externar", respondeu Padilha em entrevista após a 45ª reunião do Conselhão, ao ser questionado se achava que Geddel deveria ser demitido após a denúncia. "Repito: questão de ministro é do presidente da República. Fora isso, é achismo, e não sou chegado a achismo", afirmou, depois da insistência dos jornalistas. size_960_16_9_padilha-temer
O ministro da Casa Civil também evitou comentar se a denúncia contra Geddel afeta a confiança de investidores no Brasil. "Essa é uma questão que tem de ser avaliada em seu devido momento e pelo presidente da República", disse. Mais cedo, ao passar próximo da imprensa após a reunião do Conselhão, o presidente Michel Temer também evitou comentar o assunto.
Fonte: Mesmo que pensasse algo sobre Geddel, não poderia externar, diz Padilha | Política: Diario de Pernambuco

Juiz suspeita de médico de Garotinho e manda peritos do MP avaliarem ex-governador – Administrador de Sonhos

Dos jantares luxuosos em Paris ao pão com manteiga em Bangu: Sérgio Cabral esta na prisão

Sérgio Cabral foi preso na última quinta-feira, 17 de Novembro, na 37ª fase da Operação Lava Jato. Após a prisão do ex-governador, a imprensa logo se desdobrou sobre sua fortuna e como ele vivia; fazendo revelações acerca do luxo em que ele e a família desfrutavam, enquanto o povo do estado do Rio de Janeiro, que foi governado por Cabral por duas vezes, agoniza em meio a uma crise sem precedentes. 
Quase sempre as reportagens mostravam para sociedade a ligação entre a quebradeira do Estado do Rio de Janeiro e o enriquecimento da família de Sérgio Cabral, isto sem fazer em nenhum momento uma meá culpa, já que até a prisão os meios de comunicação Fluminense nunca questionaram de onde vinha tanto dinheiro para bancar tanto luxo e riqueza do político.
A prisão de um "peixe graúdo" na operação Lava Jato que não faz parte do Partido dos Trabalhadores remete a sociedade à esperança de que a Justiça brasileira, enfim deixará de ser "seletiva" e que as ações da PF ordenadas pelo Juiz Sérgio Moro não dizem respeito apenas a integrantes do PT, mas a toda classe política que esteja em alguma esfera envolvida em atos de corrupção.
Para seguir nesta linha de imparcialidade e seriedade, falta a Lava Jato chegar ao ninho Tucano, dar uma resposta para sociedade sobre atos suspeitos que vão desde o recebimento de propina, até o mal explicado caso da apreensão do Helicóptero recheado de cocaína no Espírito Santo. 

Em depoimento em Curitiba, Cláudia Cruz diz não saber de nada. Nada mesmo!  – Politica

Em depoimento à Justiça, mulher de Eduardo Cunha ignora o juiz Sergio Moro e diz que nunca desconfiou da origem do dinheiro que bancava seus luxos 

domingo, 20 de novembro de 2016

Eleição da presidência da Câmara divide o PMDB em Goiânia

Geddel é o problema: saída de Ministro deixa de ser mera divergência e cria crise no Governo Temer | Blog do Rei

É grave a acusação de Marcelo Calero contra o ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) publicada na edição deste sábado (19) da Folha de S. Paulo.
A demissão de Calero deixou de ser uma mera divergência interna, como tentou transparecer o Planalto na sexta. Os motivos de sua saída são muito mais sérios do que se imaginava.
As duas medidas desgastam o governo. Segurar Geddel, acusado por Calero de pressioná-lo para favorecer interesses pessoais, joga para dentro do Planalto uma crise inesperada.
Uma crise inconveniente para Temer pelo fato de Geddel ser estratégico como articulador político nas negociações com o Senado para aprovar a PEC do teto de gastos públicos, carro-chefe do governo para tirar a economia do buraco em 2017.
A segunda possibilidade para o presidente é controlar a turbulência imediatamente, tirar Geddel, mas ao mesmo tempo admitir que um dos seus principais assessores de confiança atuou para se beneficiar pessoalmente. É crise do mesmo jeito.

Garotinho ofereceu suborno de R$ 5 milhões para tentar evitar prisão, diz procuradoria | Blog by Goiânia

A Procuradoria Regional Eleitoral do Rio (PRE/RJ) requereu à Polícia Federal a abertura de um inquérito para apurar denúncias sobre tentativa de suborno de um juiz pelo ex-governador do Rio Anthony Garotinho e seu filho Wladimir Matheus.
debate

De saída do MinC, Marcelo Calero denuncia maracutaia de Geddel Vieira Lima – Assuntos de Goiás | Questão Brasil

Demitido do ministério da Cultura, Marcelo Calero revelou os bastidores da sua queda: Geddel Vieira Lima, articulador político do governo e um dos homens fortes de Michel Temer, o cobrou a pressionar o iPhan a liberar um empreendimento de 30 andares no centro histórico de Salvador.
O motivo: Geddel era dono de um imóvel no empreendimento embargado. "E eu, que comprei um andar alto, como é que eu fico?", cobrava o ministro.
Segundo Calero, ele não foi para o governo para "fazer maracutaia", nem para ceder às pressões de uma pessoa "truculenta" como Geddel; mais uma baixaria no governo Temer, que teve em Geddel um dos principais conspiradores do golpe parlamentar de 2016 

sábado, 19 de novembro de 2016

Chegou a vez de Sérgio Cabral

A prisão do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, do PMDB, na manhã desta quinta-feira (17) abre uma nova fila na Operação Lava Jato. 

Do esquema nacional, conduzido em Brasília, já se viram várias detenções. 


Cabral é o representante de um novo filão, o dos governadores e ex-governadores que fizeram negócios sujos com as empresas do petróleo e filiadas como a Delta e a Carioca Engenharia, cujos executivos já foram devidamente incluídos como colaboradores da força-tarefa do Ministério Público Federal que investiga o esquema.

Como ele, outros terão problemas judiciais para se explicar.

Garotinho a agentes da PF: ‘me matar é uma decisão sua’ – Discutindo Tudo

No registro, o ex-governador diz que o presídio de Bangu está cheio de presos que querem matá-lo e que sua prisão foi armada

Ouça o áudio - Política - Estadão : Garotinho a agentes da PF: 'me matar é uma decisão sua'; ouça o áudio - Política - Estadão

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Cultura: José de Abreu terá que devolver R$ 300 mil da Lei Rouanet – Eu Digo Sempre

Dinheiro foi usado na turnê do espetáculo 'Fala, Zé' pelo Sudeste. A Orquestra Sinfônica Brasileira também apareceu em lista e terá de devolver R$ 2 milhões ao cofres públicos por irregularidades.

Contrário ao Uber sem regulamentação e fiscalização Paulo Magalhães diz que Taxistas escolheram "o lado certo" ao apoiar Iris Rezende

Paulo Magalhães afirmou que o prefeito eleito "dá valor" ao trabalho dos permissionários de táxi de Goiânia

1-aa

Durante seu discurso, Paulo Magalhães fez questão de “parabenizar” os taxistas por terem apoiado Iris Rezende (PMDB) — eleito em segundo turno — para prefeito e Goiânia. “Escolheram o lado certo, é a pessoa que dá valor no trabalho de vocês”, afirmou aos manifestantes presentes.

O plenário da Câmara tinha aprovado em 30/06, por 17 votos a 2, o requerimento do vereador Thiago Albernaz (PSDB), em que solicita de Paulo Garcia, a assinatura de uma licença temporária para que o Uber funcione em Goiânia até que seja feita a regulamentação desse serviço.

O projeto que já foi aprovado na CCJ e aguarda apreciação do plenário define que o transporte individual fique restrito a veículos cadastrados e autorizados com profissionais credenciados junto ao órgão competente que rege o serviço de táxi da capital.

Em Junho votaram contra os vereadores Paulo Magalhães (PSD) e Pedro Azulão Jr (PSB).

“Nunca deixei de apoiar os taxistas, pessoas veem as pingas que vocês bebem mas não veem os tombos que levam. Então, conte com meu voto, sempre. Uber para funcionar tem que ter responsabilidade e pagar impostos”, discursou.



.

TCE pode ter ajudado governo estadual com a LRF – Profissão Político

Uma matéria divulgada nesta quarta-feira (16) pelo jornal Estadão diz que Tribunais de Contas dos Estados (TCEs) deram aval a "maquiagens" dos governos estaduais.
politizado1-fw1
Segundo a reportagem, um estudo do Tesouro Nacional mostra que boa parte dos Estados gasta com pessoal mais do que declara, extrapolando os limites estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).
Porém, em decisões colegiadas, os tribunais permitem que o cálculo da despesa exclua alguns gastos para não ultrapassar os 60%.
Goiás foi citado na matéria do Estadão. A jornalista Fabiana Pulcineli falou sobre o assunto no Papo Político. Confira!
PAPO POLÍTICO

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Aneel suspende regra sobre cobrança de dívida milionária da Celg para facilitar venda

O novo operador da distribuidora de energia goiana Celg-D terá mais uma facilidade ao assumir uma das principais dívidas da companhia. O leilão da empresa está marcado para o dia 30, mas o contrato de concessão deve ser assinado apenas em fevereiro. Durante esse intervalo, o novo concessionário poderá atrasar o pagamento de parcelas das dívida da empresa com a usina de Itaipu, que totaliza R$ 854 milhões, com a garantia de que o vencimento da dívida total não será antecipado.
Governor of Goias State Marconi Perillo gives his testimony to the Brazilian Senate's Ethics Committee in BrasiliaA decisão de suspender essa regra foi tomada nesta quarta-feira (16/11), pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que atendeu a um pedido da Eletrobras, detentora de 51% das ações da distribuidora. A dívida da Celg-D com Itaipu foi renegociada em fevereiro, conforme os termos de medida provisória sancionada em novembro de 2015.
Com o apoio do governo federal, a Celg conseguiu converter a dívida de US$ 364 milhões em reais pelo câmbio de 2 de janeiro de 2015, de R$ 2,69. Na época da renegociação, a cotação média do dólar era de R$ 4,05. Com a aprovação da repactuação, o passivo da distribuidora ficou R$ 453,89 milhões menor. A medida foi tomada para facilitar a privatização da companhia.
Para ter direito a esse benefício, a Eletrobras se comprometeu a não atrasar o pagamento das parcelas por mais de 30 dias. Caso contrário, estaria sujeita ao vencimento imediato de toda a dívida. Segundo o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, a medida ajuda a mitigar os riscos do futuro operador da Celg-D. "O vencimento antecipado de uma dívida de R$ 800 milhões agrega risco desnecessário ao leilão."
Ele destacou, no entanto, que o novo concessionário continua sujeito às demais penalidades do contrato de renegociação caso atrase o pagamento das parcelas da dívida no período entre o leilão e a assinatura do contrato de concessão. "O benefício só vale para o vencimento antecipado da dívida."
Sobre os pagamentos em atraso devem incidir automática e imediatamente multa pecuniária de 10% sobre o saldo devedor vencido, e juros moratórios de 1% ao mês, calculados desde a data do vencimento até o dia do pagamento, disse a Aneel.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. (Agência Estado)

PMs do Choque que aderiram a protesto no Rio devem ser presos

Dois policiais que atuavam para conter ato abandonaram o trabalho e foram ovacionados pelos manifestantes

Um vídeo com imagens do protesto de servidores públicos contra o pacote anticrise do governo do estado do Rio de Janeiro ganhou as redes sociais nesta quarta-feira, 16.

Na imagem produzida e postada no Facebook pelo estudante de comunicação Julio Trindade, dois policiais militares do Batalhão de Choque que atuavam para conter o protesto abandonaram o trabalho e se juntaram aos manifestantes.

Segundo uma fonte, os PMs serão identificados e punidos com prisão administrativa. A assessoria de imprensa da Polícia Militar não confirma a informação de uma possível prisão, mas informa que irá analisar as imagens para verificar a situação.

https://www.facebook.com/reinaldocruz.goiania/videos/vb.100000700591662/1328437453856262/?type=2&theater

Fonte: PMs do Choque que aderiram a protesto no Rio devem ser presos - Economia - Estadão

LOA garante recursos para que Iris cumpra  compromissos de campanha

A relatora do projeto da Lei  Orçamentária Anual  (LOA)  2017 de Goiânia, vereadora Cristina Lopes (PSDB), afirmou que  o relatório, que deve ser votado na próxima terça-feira pela Comissão Mista da Câmara...

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

‘Efeito Trump’ deverá ser prolongado

1-a-julio-camposA volatilidade registrada nos mercados desde a eleição de Donald Trump, na terça-feira, deverá se manter pelas próximas semanas, com impacto nos juros, câmbio, fluxo de capitais e até na inflação, de acordo com especialistas ouvidos pelo ‘Estado’. Fora de quase todos os cenários projetados por analistas para os quatro anos a seguir, o novo presidente dos Estados Unidos ainda é uma incógnita, e as bolsas deverão reagir a cada nova sinalização do que virá a ser o seu governo, a partir de janeiro do ano que vem.

Na semana passada, a Bovespa refletiu o chamado “efeito Trump”. Na última sexta-feira, a Bolsa registrou uma nova queda, de 3,30%, e saiu do patamar de 60 mil pontos, fechando em 59.183,50 pontos. Em uma semana, a BM&FBovespa acumulou perdas de 3,92%. O dólar também encerrou o dia com uma nova elevação, de 1,3%, cotado a R$ 3,40.a

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Vitória de Donald Trump nos EUA foi prevista por 'Os Simpsons' há 16 anos

No enredo, ela reclamava do orçamento apertado deixado por Donald Trump, presidente que antecedeu seu mandato.
Matt Groening, criador da série, disse ao The Guardian, no mês passado, que Trump sempre foi visto por ele e por sua equipe criativa como a possibilidade mais absurda para o comando do país.
"Nós previmos que ele seria presidente no ano 2000, mas é claro que ele era a piada tapa-buraco mais absurda que conseguíamos pensar na época, e isso ainda é verdade. Vai além da sátira", disse.
A previsão se concretizou, algo que Groening não esperava. Nesta mesma entrevista, ele disse que a improvável vitória de Trump seria ótima para os comediantes.


.

Seguidores